Menu
 


Banner
Presos em Trieste
Publicado em: 27/02/2016

Sim, ficamos presos em Trieste, na Itália! Tudo bem que durou bem pouco tempo, mas o suficiente para dar um pequeno pânico. Antes de contar esta história – que acabou tudo bem -, temos de falar que estar na Itália não estava nos planos e, assim que chegamos à cidade, ficamos repetindo insistentemente a palavra “gorlami”, que não significada absolutamente nada em italiano.

Para quem não sabe, ou não se lembra, o termo gorlami é repetido pelo personagem de Brad Pitt no filme Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino. (clique aqui para ver) Além de ficar falando gorlami, que supostamente é o nome dele, um falso italiano no filme, ele faz aquele gesto característico dos italianos com a mão.

Agora a história de ficarmos presos. Chegamos a Trieste e logo na entrada haviam vários motorhomes parados na rua e um estacionamento grande bem vazio, com bastante espaço para o carro. Tinha placa de estacionamento e achamos que estava tudo certo parar ali. Deixamos o carro e fomos para o centro de ônibus.

Quando voltamos, a saída do estacionamento estava fechada com uma corrente e trancando o carro. Por sorte, muita sorte, havia uma saída do lado, subindo um pouco na calçada, e deu para dar um jeitinho e conseguir sair, mas ficamos ligeiramente desesperados diante da situação.

A cidade não tem nada demais. Nem um centro de informação turística encontramos, andamos em algumas ruas do centro e conseguimos almoçar num restaurante, que mesmo parecendo bem turístico estava gostoso.

O mais engraçado é que pedimos uma entrada e um prato para cada um, além de legumes para acompanhar. No entanto, na Itália é comum comer a massa sozinha, e os legumes geralmente acompanham uma carne, que é sempre servida como segundo prato, após a massa. Resultado: depois de comer um prato enorme de massa, o garçom trouxe os legumes assados para gente. Claro que não aguentamos comer, até porque nem estava tão gostoso assim.

Não devemos mais voltar à Itália durante esta viagem, mas sem dúvida que o sotaque e o jeito de os italianos falarem realmente vão ficar na nossa memória por um bom tempo.


Comentários

Ludmila • 02/03/2016 às 15:40
Não sei se o macarrão estava bom, mas a cara dele deu uma fome!!! Gorlami para vocês!! bjs
Flávia • 27/02/2016 às 12:21
Susto!!!

Comentar