Menu
 


Banner
Turismo político em Belgrado
Publicado em: 05/04/2016

Sabemos que o Brasil passa por um momento complicado e escrever a palavra “política” pode resultar em amizades, ou amores, desfeitos, brigas em reuniões familiares e por aí vai. Mas é impossível falar sobre Belgrado, capital da Sérvia, sem considerar questões políticas.

Assim como em Sofia (clique aqui para ler mais) e Bucareste (clique aqui para ler mais), fizemos dois tours: um sobre história geral e outro focado no período em que existia a Iugoslávia, mas ambos são carregados de política.

Este assunto também acirra os ânimos por aqui. Durante um dos tours, a guia perdeu completamente a paciência e discutiu com um americano sobre a situação do Kosovo e o genocídio cometido pelo então presidente da Sérvia Slobodan Milosevic.

Tirando as questões políticas – se for possível -, Belgrado é uma cidade muito viva, com gente nas ruas o tempo inteiro, cafés e restaurantes lotados, museus variados e muitas áreas verdes para se esconder do sol. Os dias que passamos aqui estavam incrivelmente quentes, beirando os 30ºC.

Não há uma quantidade significativa de prédios históricos, principalmente por conta dos conflitos pelos quais o país passou desde a Primeira Guerra Mundial. Mas ainda é possível visitar um castelo na parte da alta da cidade, algumas catedrais ortodoxas e o imperdível Museu da História da Iugoslávia, onde está enterrado Josip Broz Tito, o herói nacional e responsável pela formação da Iugoslávia após a Segunda Guerra Mundial.

A guia que perdeu a paciência com o americano contou uma história muito interessante sobre um dos bairros de Belgrado, chamado de Silicon Valley, porque muitas mulheres colocavam implante de silicone nos seios e iam para as ruas deste bairro para tentar encontrar uma marido. Isto aconteceu no início da década de 90, logo após o fim da Iugoslávia, quando o país não estava em um dos melhores momentos econômicos, digamos. Muita gente não tinha nem o que comer, e o número de cirurgias plásticas batia recordes.

Os supostos futuros maridos eram da máfia do combustível: grupo de empresários que adulterava gasolina e vendia por um preço ainda maior, aproveitando o momento de turbulência pelo qual o país estava passando.

Gostando ou não de política, com certeza vale a pena conhecer Belgrado e ouvir as histórias dos moradores da cidade, principalmente sobre o último conflito ocorrido em 1999, quando a Otan bombardeou a Sérvia por 79 dias seguidos para pressionar Milosevic a parar o genocídio que acontecia em Kosovo. Ainda hoje é possível ver prédios completamente destruídos pelas bombas, assim como Sarajevo ainda é cheia de paredes com marcas de bala (clique aqui para ler mais).


Comentários

Este post ainda não recebeu nenhum comentário. Seja o primeiro!

Comentar