Menu
 


Banner
O que fazer e comer em Budapeste
Publicado em: 10/04/2016

Budapeste, na Hungria, é uma das maiores capitais que visitamos até agora. Batemos perna durante um dia inteiro pela cidade e não conseguimos ver tudo, mas já deu para ter uma ideia do quão interessante ela é.

O grande destaque é o prédio do Parlamento, o segundo maior da Europa – o maior é na Inglaterra. Como era domingo, estava fechado, mas é possível agendar visitas guiadas e conhecê-lo por dentro. São mais de 200 metros de extensão e exatos 96 metros de altura.

O 96 não é à toa, já que é um número importante para a história do país. A Hungria foi fundada em 896 e várias coisas fazem referência ao número.

Outro prédio com exatos 96 metros de altura é a basílica de Santo Estevão. Não conhecemos internamente, mas é uma construção que chama a atenção e vale a pena dar uma passada ao menos para apreciar a fachada.

Existe uma lei municipal que não permite nenhum prédio maior do que os 96 metros do Parlamento e da basílica, para que estes dois sempre sejam os maiores prédios de Budapeste.

A cidade é dividida em Buda, área mais alta e antiga, e Peste, plana e um pouco mais moderna. Na parte de cima, há o que eles chamam de montanha do castelo, mas não tem castelo nenhum, e sim o Palácio Real, outra construção que chama a atenção pelo tamanho. Ele foi construído quando a Hungria fazia parte do Império Austríaco e nunca foi usado pela família real. Hoje abriga o Museu Nacional e o Museu de História de Budapeste.

Na parte chamada de Buda também há outra importante igreja: Matthias. Também não entramos nesta, porque temos um orçamento limitado e nem sempre achamos legal pagar para entrar em igrejas. No entanto, do lado de fora é possível ver o telhado cheio de pastilhas de porcelana. Não é a coisa mais bonita do mundo, mas é uma decoração inventada na Hungria e vários países utilizam em igrejas e outros prédios. Vale mais pelo inusitado de ver uma igreja com um telhado desta forma.

Em Peste, a praça Vorosmarty é um ponto bem legal de conhecer. Geralmente tem uma feirinha com comida típica e artesanato. Bem próximo fica o distrito judaico – que ainda vamos conhecer – e vários museus, entre eles a Casa do Terror. Ela esta instalada em um prédio semelhante à proposta da Estação Pinacoteca em São Paulo. Ali foram presos e executados os contrários ao regime comunista que se instalou no país após a Segunda Guerra Mundial. O museu é muito pirotécnico, com vídeos e jogos de luzes demais, que fica até difícil se concentrar na história em si. O ingresso custa 6,5 Euros e não chegamos à conclusão se realmente vale a pena.

Comida
Duas coisas obrigatórias de provar se você estiver em Budapeste – ou outra cidade da Hungria -: goulash e o kürt?skalács. O primeiro é o equivalente ao picadinho brasileiro, mas com um molho cheio de páprica. É possível pedir como prato principal acompanhado de um bolinho, pão ou arroz, ou como sopa, que é servida como entrada. Ambos são bem gostosos e é possível encontrar em qualquer restaurante.

O kürt?skalács é uma massa assada em formato cilíndrico, que lembra um vaso, e pode ser passada – tipo um churros - em vários acompanhamentos, como canela, açúcar, chocolate, entre outros. É uma das coisas mais gostosas que comemos até agora e dá vontade de provar todas as opções. Também é bem fácil de encontrar pela cidade, seja em cafés ou barraquinhas. O preço é em média 3 Euros, mas vale cada centavo.


Comentários

Sueli, Teresinha lLma Alves dos Santos • 10/04/2016 às 18:22
Cada postagem nova vem sempre com muitas coisas interessantes.Até a próxima postagem.

Comentar