Menu
 


Banner
A melhor maneira de conhecer Viena é caminhando
Publicado em: 16/04/2016

Talvez seja culpa do sol e da temperatura super agradável. Ou dos prédios clássicos carregados de história em praticamente toda a cidade. Ou ainda do sistema de transporte público super moderno e fácil de se locomover. Isso sem contar os cafés, restaurantes e cervejarias espalhados por diversos bairros. A verdade é que deixar Viena, capital da Áustria, para seguir viagem dá um aperto no coração.

Tivemos dois dias e meio para conhecer a cidade e acabamos ficando com gostinho de que deveríamos ter ficado mais. Por mais que tivéssemos uma pesquisa prévia daquilo que é interessante, não existe coisa melhor do que caminhar pela cidade e se perder pelas ruas. Em cada esquina há uma surpresa e não andamos em nenhum ponto que possa ser considerado feio. A cidade é linda. Por isso, a primeira e principal dica sobre Viena é: saia andando sem destino e apreciando e curtindo tudo o que aparecer à sua frente.

Se você gosta de cultura existem inúmeros museus, desde os mais clássicos aos mais contemporâneos. Como nosso orçamento é bem limitado, e museu é uma coisa cara, escolhemos dois: Mumok e a Kunsthalle, ambos de arte moderna. Seja quais forem suas escolhas, é possível comprar ingressos combinados e conseguir descontos bem razoáveis. Para estes dois, pagamos 37 Euros. Gostamos muito do Mumok, com vários trabalhos de Egon Schiele e alguns de seu mentor, Gustav Klimt. Já a Kunsthalle não valeu o ingresso, porque havia apenas uma exposição temporária e não era nada demais.

Se você gosta de cerveja, basta ler nosso post sobre dois incríveis restaurantes-cervejarias de Viena. (para ler, clique aqui).

Agora se você é da turma do doce, assim como a Silvia, tem de visitar a doceria mais famosa e antiga da cidade: Demel, com mais de 200 anos de história. É um lugar super turístico e cheio de gente o dia inteiro, mas não dá para negar que o doce é uma delícia. Experimentamos o apfelstrudel, cheesecake de morango e uma torta de chocolate. Tudo super bem feito e gostoso.

Outro lugar bem famoso é o Café Museum. Também experimentamos os clássicos apfelstrudel e sachertorte. Nenhum dos dois estava tão bom quanto na Demel, mas vale a experiência para conhecer outro lugar histórico da cidade.

Falando em tradição, todo mundo que visita Viena tem a obrigação de comer um verdadeiro schnitzel. Comentamos sobre ele no outro post, mas não custa nada lembrar: é uma carne de porco empanada – semelhante ao nosso à milanesa – servida com batatas. É extremamente gostoso e praticamente qualquer restaurante tem essa opção, por isso, não vale a pena experimentá-lo em lugares caros, porque é um prato tradicional e barato em toda a cidade, custando uma média de 10 a 15 Euros.

Assim como qualquer outra grande capital europeia, Viena é cheia de ruas comerciais onde é possível encontrar tudo quanto é tipo de loja. E outra característica comum entre essas capitais é o quanto as coisas custam. Talvez pelo fato de estarmos vindo de países um pouco mais baratos – tirando a Grécia, que foi absurdamente cara (clique aqui para ler) -, achamos tudo mais caro em Viena.

Mas, como falamos no início do texto, se você caminhar bastante vai encontrar lugares escondidos e mais baratos, por isso, vale a pena se perder por Viena.


Comentários

First Class Bus • 17/04/2016 às 12:46
Olá Sueli, infelizmente os ingressos para os palácios são muito caros, e como temos um orçamento limitado escolhemos os museus desta vez. Quem sabe na próxima, né?
Sueli, Teresinha lLma Alves dos Santos • 16/04/2016 às 14:32
De fato ,Viena é linda ,os doces de dar água na boca,mas e os palácios, contava conhece-Los através de vocês.

Comentar