Menu
 


Banner
Vilnius, na Lituânia, é a cidade do bom humor
Publicado em: 02/05/2016

Antes de falar qualquer coisa sobre Vilnius, capital da Lituânia, assista ao vídeo abaixo:

Pode não ser a solução mais diplomática do mundo, mas é inegável que o ex-prefeito da cidade tem um humor – e coragem – para chamar a atenção. Imagina no Brasil se isso fosse feito com a turma do “é rapidinho, não vai levar nem cinco minutos”? Mas isso é outra história, vamos voltar à Vilnius.

Sem dúvida que a Lituânia é um destino bem pouco conhecido para turistas brasileiros. Mas, se considerarmos apenas Vilnius, quem não visita a cidade está perdendo uma ótima maneira de conhecer uma cultura diferente e interessante.

O bom humor, ou um humor peculiar, digamos, parece estar enraizado em todo mundo. Prova disso é que há praticamente um “país” independente dentro da cidade: o bairro Uzupis. Há alguns anos, artistas locais começaram a se concentrar neste espaço e a revitalizá-lo, afastando a fama de que era um dos mais perigosos da cidade. Para marcar o nascimento da República de Uzupis, criaram até uma constituição própria, que pode ser lida em 15 idiomas em um dos muros do local.

Atualmente é um dos bairros mais interessantes de Vilnius, com galerias de arte, cafés e restaurantes para todos os gostos e bolsos. Além disso, Uzupis fica à beira do rio Vilnia, que é um charme à parte. Todo mundo que visita a cidade precisa gastar umas horas caminhando por ali e aproveitando a atmosfera única.

Outra parte muito interessante de Vilnius é a avenida Gediminas. É uma reta que parece não ter fim, conectando o palácio Seimas à catedral da cidade. A avenida é super larga e cheia de lojas, restaurantes e cafés. Talvez seja comercial demais, mas vale dar uma volta por ali para conhecer e apreciar alguns prédios do período comunista.

Demos azar de visitar a cidade no dia 1º de maio, que além de ser Dia Mundial do Trabalhador, é Dia das Mães na Lituânia. Várias coisas estavam fechadas, mas ficamos frustrados em não conseguir visitar o Museu da KGB, que conta a história de pessoas que foram mortas pelo regime comunista.

A cidade é lotada de igrejas – 30 para sermos exatos -, mas a catedral sem dúvida é que a chama mais atenção. Construída num estilo bem pouco comum para uma igreja, o prédio lembra muito mais um templo grego, com exceção de um grande crucifixo na entrada.

Vilnius é cheia de praças e ruas pequenas para conhecer. Infelizmente tivemos apenas um dia na cidade, mas foi o suficiente para ficarmos com vontade de voltar e passar mais tempo. Se você pensa em visitá-la, separe pelo menos três dias para não se arrepender depois.


Comentários

Este post ainda não recebeu nenhum comentário. Seja o primeiro!

Comentar