Menu
 


Banner
De bike na rota do vinho da Alsácia
Publicado em: 25/06/2016

Depois de alugar uma bicicleta em Bruges, na Bélgica (clique aqui para ler mais), achamos que seria uma boa ideia fazer isso na região da Alsácia, na França, famosa pela produção de ótimos vinhos. No final das contas, foi uma boa e má ideia ao mesmo tempo. Na verdade, a única parte ruim é o trajeto entre uma cidade e outra, cuja distância é pequena – média de 5 quilômetros -, mas com ladeiras para subir parece muito mais longe.

Tirando isso, foi um dos passeios mais bonitos que fizemos em toda a viagem.

A Alsácia é formada por vários vilarejos e existe uma rota só para bicicletas, utilizando estradas vicinais no meio dos vinhedos. A rota inteira tem mais ou menos 100 quilômetros, mas não fizemos tudo. Estávamos em Ribeauville e dali pedalamos mais ou menos uns 30 quilômetros para conhecer Riquewhir, Berghaim, Runawhir e Zellenberg, uma mais bonita do que a outra.

O trajeto é famoso não só para quem quer fazer de bicicleta, mas caminhando também. Por isso, é bem sinalizado e não tem como se perder seguindo as placas – na verdade tem sim, ou ao menos a gente se perdeu num trecho, mas por falta de atenção.

A grande recompensa pelo esforço físico sem dúvida alguma é a paisagem. A cada ladeira vencida, era possível avistar o próximo vilarejo, com algumas casinhas, uma igreja e umas três ruas. As cenas que ficaram na memória parecem um filme, algo meio surreal no meio de vinhedos, construções antigas, tratores e lama, muita lama. Essa foi a única coisa que atrapalhou um pouco, porque chovia sem parar há pelo menos duas semanas. Por sorte, durante o nosso passeio, choveu bem pouco.

Todas as cidadezinhas desta rota são charmosas, e até um pouco parecidas umas com as outras. A principal diferença é a quantidade de turistas. Por algum motivo, algumas delas estão na rota de excursões, então prepare-se para encarar muita gente brigando por espaço – e tentando fazer uma foto sem ninguém atrapalhar -, principalmente em Riquewhir.

Mas, em Bergheim, por exemplo, não chega quase ninguém de fora e é uma tranquilidade tremenda caminhar pelas ruazinhas. Como é uma das menos turísticas por ali, não há uma oferta muito grande de restaurantes, mas qualquer um que você escolher valerá a pena, porque o foco é a culinária e os vinhos locais.

Seja qual for a cidade onde você estiver hospedado na região da Alsácia, tire ao menos um dia, consiga um mapa da rota – quase todos os centros de informações turísticas têm –, alugue uma bicicleta e aproveite para pedalar entre os vilarejos.

Com certeza seu coração – tanto no sentido emocional quanto no físico, para queimar algumas calorias – vai agradecer.


Comentários

Este post ainda não recebeu nenhum comentário. Seja o primeiro!

Comentar