Menu
 


Banner
Sétimo dia no Marrocos teve muito medo, surf e alta gastronomia
Publicado em: 02/02/2015

Ela
Chegamos em Marrakesh depois de um dia longo e muita estrada, de novo. O riad da vez foi o Dar Thania que, apesar de ser confortável, não era exatamente como as fotos no site, e acho que a minha paciência com o Marrocos estava curta demais depois de dias tão cansativos.

Pela manhã, ainda em Ouarzazate, visitamos o Museu do Cinema. Curiosamente muitas produções hollywoodianas são gravadas no Marrocos porque as locações e cenários são muito baratos, e eles têm muitos estúdios por ali. Fiquei imaginando se os grandes astros levam seus próprios chefs de cozinha, porque é difícil encarar a culinária local por um período maior.

Ainda paramos numa cidade fortificada e declarada patrimônio mundial da Unesco, Ksar Aït Ben Haddou, localizada no alto atlas. Ela é constituída por pequenas fortalezas e a maioria dos habitantes da cidade vive na aldeia ao lado, que é mais moderna, no entanto, ainda restam 10 famílias no local que sobrevivem basicamente do turismo. Ali foram filmados vários filmes famosos, incluindo Lawrence da Arábia, A Múmia, Gladiador, Alexandre, Príncipe da Pérsia, entre outros.

Antes de chegar a Marrakesh ainda teve uma parada bem chata para visitar a produção local de óleo de argan e almoçarmos, mas não gosto quando os guias tentam nos empurrar souviniers.

Por sorte, encerramos a noite no melhor restaurante marroquino da viagem, o Lotus Privilege, que fica no riad Lotus (onde deveríamos ter nos hospedado porque era tudo o que eu esperava do Marrocos: exuberante). Foi um um menu fechado e, mesmo tendo apresentações de dança do ventre e dervixes, valeu a pena - ou realmente minha carência por civilização estava falando alto demais, porque esse é exatamente o tipo de programa que evitamos quando estamos viajando.


Ele
Num dia em que visitamos o Museu do Cinema, em Ouarzazate, locação de vários filmes famosos (Lawrence da Arábia, Babel, Gladiador e por aí vai), a principal atração foi o medo. Comentei sobre isso no primeiro texto que publicamos sobre o Marrocos (para ler clique aqui) e, sem dúvida, é uma das mais fortes lembranças desta viagem - infelizmente. De Ouarzazate para Marrakesh são 200 quilômetros, dos quais mais da metade em trecho de serra, porque temos de atravessar o ponto mais alto do alto atlas no Marrocos: 2.200 metros de altitude. A estrada de pista simples lembra cenas de vários filmes, sem guard rail e o abismo do seu lado o tempo inteiro; e justo neste dia nosso motorista aventureiro resolver acelerar para chegarmos logo ao destino.

A serra tinha basicamente o mesmo desenho para subir e descer, com curvas extremamente acentuadas e pequenos trechos de reta entre uma curva e outra. O motorista, não sei por qual motivo, estava com muita pressa e acelerou loucamente nestas retas para frear bruscamente quando as curvas se aproximavam. Ficamos nisso por quase duas horas e, quando começou a cheirar pastilha de freio queimada, achei que a qualquer momento ele não conseguiria diminuir a velocidade para fazer a curva e passaríamos reto rumo ao abismo. Sem dúvida alguma foi o dia em que mais tive medo na vida, o tempo inteiro tenso, procurando o freio invisível com o pé e torcendo para nada de pior acontecer. Vendo as fotos hoje, os lugares em que passamos eram lindos, mas confesso que não tenho lembrança alguma disso, só do abismo e do medo.

Chegar - vivo e inteiro - a Marrakesh foi um alívio duplo: primeiro por ter sobrevivido à estrada, e segundo porque finalmente estávamos num riad com internet razoável para eu assistir à decisão do título mundial de surf, que seria justamente naquele dia.

O jantar foi até que interessante, com um menu-degustação de pratos marroquinos um pouco melhor preparados em relação aos lugares onde havíamos comido até ali. Mas confesso que minha atenção naquele momento estava no Havaí, torcendo pelo título inédito de um brasileiro na elite do surf mundial, o que acabou acontecendo horas mais tarde. Graças à internet do riad consegui assistir à conquista e ir dormir feliz depois de um dia tão tenso.


Comentários

Este post ainda não recebeu nenhum comentário. Seja o primeiro!

Comentar