Menu
 


Banner
Vai para o Marrocos? Leia isso antes!
Publicado em: 11/02/2015

Depois das nossas impressões sobre as cidades e lugares que passamos no Marrocos, agora é a hora de sermos práticos. Por isso, segue uma lista de dicas importantes para quem está pensando visitar o país.

Dinheiro
Não se preocupe em levar Dirham marroquino, já que praticamente em todos os lugares eles aceitam Euro e dão o troco em Dirhans, o que facilita bastante. A conversão é basicamente 10 por 1, portanto, é só tomar cuidado com isso na hora de conferir o troco. A maior parte dos lugares também aceita cartão pré-pago ou de crédito.

Água
Por mais óbvio que pareça, procure sempre água mineral engarrafada, cujo preço (500 ml) gira em torno de 1 euro na maior parte do país.

Segurança
Em nenhum momento da viagem sentimos que poderíamos ser assaltados ou algo do tipo. Aparentemente é um país muito seguro e o fato de a maioria da população ser muçulmana também ajuda neste quesito. A dica básica é sempre tomar cuidado com as suas coisas, mas isso serve para qualquer país na verdade.

Clima
Se você for no inverno, leve bastante roupa quente. Por mais que esteja no continente africano, o inverno é bastante rigoroso e a maior parte dos lugares não tem calefação, portanto, é frio o tempo inteiro. Prepare a mala como se estivesse viajando para qualquer país gelado da europa. Outra coisa: opte por roupas confortáveis, principalmente o que for usar no pé, porque você vai andar bastante pelas cidades.

Comida
A gastronomia marroquina não é muito variada e você provavelmente vai comer quase a mesma coisa durante toda a viagem. O preço de uma refeição média (entrada, prato principal, sobremesa e bebida sem álcool) é de 15 euros. Uma dica: tenha sempre uma barra de chocolate na bolsa, porque as distância são longas e nem sempre tem lugares limpos e confiáveis para comer.

Álcool
Como é um país islâmico, poucos lugares vendem álcool, já que precisam de uma permissão especial. E, mesmo onde ele é oferecido, prepara-se para ter de abrir o seu próprio vinho, por exemplo, porque o garçom não vai querer serví-lo. A exceção é Casablanca, possivelmente pela influência francesa muito presente, e os lugares mais chiques de Marrakesh, onde é possível até encontrar uma carta de vinhos, mas na maioria das cidades onde havia a bebida era uma única opção.

Hammam
Faça um hamam (banho). Como este tipo de coisa é super tradicional nos países muçulmanos, não vai ser difícil encontrar um lugar bacana no Marrocos, basta pedir no hotel ou riad em que você estiver. O banho é quente e realmente relaxa o corpo, principalmente depois de um dia caminhando pelas ruas de qualquer medina.

Contrate um guia
Nós gostamos de explorar lugares por nossa conta e risco, mas no Marrocos estar sozinho deve ser muito difícil. Os lugares não são muito sinalizados, as ruas das medinas são verdadeiros labirintos e muito prédio histórico ou outras atrações ficam um pouco escondidas, o que sem um guia deve ser bem complicado de achá-los, sem contar dicas práticas e alertas para evitar roubadas - como querer fotografar os encantadores de serpentes em Marrakesh sem dar uma gorjeta antes.

Idioma
É predominantemente árabe, ainda que os marroquinos pensem que conseguem falar espanhol e português. Na prática, se você falar português ou portunhol eles vão te entender muito pouco e responderão algo totalmente diferente do que foi perguntado. Em Casablanca é possível falar francês e inglês, mas nas outras cidades é um pouco mais complicado.

Dromedário
Se por algum motivo você quiser passear de dromedário esteja preparado para algo bastante desconfortável e complicado. Ao que parece, os animais não são tão dóceis e ficam um pouco temperamentais com as pessoas em cima. Vale a experiência, mas saiba que você ficará dolorido por alguns dias.


Comentários

Este post ainda não recebeu nenhum comentário. Seja o primeiro!

Comentar