Menu
 


Banner
Cinco lugares para comer - e beber - em Lisboa
Publicado em: 19/02/2015

Depois de passar oito dias no Marrocos, a sensação de chegar a Lisboa foi de alívio. Ficamos apenas três dias, mas foi o suficiente para comer e beber muito bem.

Aqui vale um parêntese para o hotel que escolhemos: Vincci Baixa, bem no centro. Sem dúvida um dos melhores hotéis que já ficamos e com certeza um dos melhores serviços. Todos, absolutamente todos, os funcionários foram extremamente simpáticos e dispostos a ajudar no que fosse necessário. Além de tudo isso, o café da manhã era maravilhoso, com muitas variedades de pães, frios, geléias, bolos, doces e afins.

Voltando para a comida . . .

Time Out Mercado da Ribeira
O lugar imperdível para comer em Lisboa é, sem dúvida alguma, o Time Out Mercado da Ribeira. São uns 30 boxes com comidas para todos os gostos e bolsos, desde ostras super frescas a menus-degustação de chefs contemporâneos. No primeiro dia que visitamos o mercado, acabamos escolhendo mal e comemos um hambúrguer bem sem graça - possivelmente escolhemos isso por conta do tempo que estávamos sem comer nada muito ocidental pelo fato de ter ficado uma semana no Marrocos. Apesar de não termos gostado muito do sanduíche, ao menos a sobremesa foi ótima: bolo de chocolate com sorvete de gengibre e sementes de romã, do box do chef Alexandre Silva, acompanhado por um ótimo vinho do Porto.

Outro box que vale a visita é o Nós é Mais Bolos, com tortas e bolos de vários sabores, tudo super fresco e delicioso.

No segundo dia de visita, com mais calma, escolhemos melhor. O Cesar comeu um menu-degustação da chef Marlene Vieira, com uma salada incrível de mariscos, uma salada de lascas de bacalhau com grão de bico, bolinho de bacalhau desfiado super crocante, cogumelo recheado com alheiras e ovo de codorna, e para fechar um bolinho de pato super cremoso. Tudo isso por 11 Euros, realmente muito barato. A Silvia optou por algo mais tradicional e comeu o bitoque, receita super tradicional portuguesa do box Café São Bento, com bife de vaca servido com presunto, ovo e batata frita.

No box da sorveteria Santini descobrimos que, quando alguém oferecer um sorvete de marabunda em Portugal, está falando de flocos.

Café Lisboa
Mais um lugar que acabamos visitando duas vezes. Foi o primeiro restaurante que fomos ao chegar a Lisboa, porque já havíamos pesquisado que o chef José Avillez é uma das figuras mais importantes da gastronomia portuguesa, com vários estabelecimentos que levam o seu nome, incluindo um que consta no guia Michelin. O Café, o mais barato da rede, é extremamente charmoso, instalado num prédio antigo na Ópera de Lisboa, e tem um cardápio bem tradicional português. Comemos uma tábua de frios e embutidos de entrada, e de pratos principais filé com cogumelos portobello e bacalhau à brás, tudo muito saboroso e bem preparado. A surpresa foi para as cervejas da Sovina, uma microcervejaria portuguesa. O Cesar provou a IPA e a Stout, bem equilibradas, mas um pouco fracas para os estilos. Ainda assim, vale a pena para conhecer a, ainda pequena, cena cervejeira portuguesa.

No último dia, havíamos planejado visitar outro restaurante do mesmo chef, O Cantinho do Avillez, mas não conseguimos reservas e já estava tudo cheio porque era véspera de Natal e, aparentemente, os portugueses gostam de almoçar fora de casa neste dia. Por isso optamos por fazer uma segunda visita ao Café Lisboa. Neste dia o destaque foi para o vinho português Três Bagos, um branco da região do Douro, muito aromático e saboroso. A sobremesa da Silvia foi sentimental: pudim de laranja, porque a faz lembrar da infância e das reuniões em família.

O Cesar optou pela tradição: o pastel de belém.

Maria Catita


Restaurante super tradicional português, que estava praticamente do lado do nosso hotel. Com uma equipe bem simpática e um cardápio com muitas opções, o lugar é bastante agradável e dá para perceber que poucos turistas chegam até ali, já que no dia da nossa visita haviam grandes mesas de famílias e amigos confraternizando e comemorando o final do ano. Mais uma vez o vinho português chamou a atenção: tomamos outro branco, chamado Pó de Poeira, muito bom mesmo. O Cesar comeu um dos pratos mais tradicionais da casa e o que faz a fama de Portugal mundialmente: posta de bacalhau no azeite com batatas assadas e espinafre. Ele disse que foi o melhor bacalhau que já provou na vida. O lugar vale a visita por ser bastante tradicional e barato, com pratos custando em média 15 Euros, mas muito bem servidos e preparados. E a sobremesa foi um capítulo à parte: arroz doce, que realmente parecia daqueles preparados pelas nossas avós, um sabor muito parecido ao que estamos acostumados no Brasil.

Cerveteca Lisboa
Este é o point da cena cervejeira portuguesa. Lugar super simples, com mesas e bancos de madeira, e estantes cheias de garrafas de cervejas de todos os lugares do mundo - menos Brasil. Visitamos principalmente para conhecer um pouco das cervejas artesanais locais e não nos decepcionamos, principalmente porque no dia havia uma grande variedade de chopes engatados.

A oferta de comida é bem pequena, com basicamente peixes em conserva, queijos e alguns embutidos, tudo acompanhado de pão. Em garrafa, havia muitos rótulos da escocesa Brew Dog e da americana Rogue - ambas ocupavam uns 50% de todo o espaço. O restante era bem dividido entre cervejarias de vários lugares e, de Portugal, tinha mais ou menos uns dez rótulos. O Cesar provou uma porter de Lisboa chamada Maldita, e a Silvia optou por uma que já conhecia, Samuel Adams em chope. Estava tudo ótimo, mas é um lugar para passar antes de jantar, porque não dá para comer muito ou ter o conforto de um restaurante.

Loja das Conservas
Esse não é um restaurante e você não conseguirá comer lá, mas com certeza vale conhecer e levar as conservas para casa. A loja tem um leiaute muito interessante, com as paredes sinalizadas de acordo com cada empresa produtora, e todas as latinhas de bacalhau, sardinha, atum, namorado e mais uma grade variedade de peixes expostas para você escolher. O atendimento é super bacana, com todos os funcionários perguntando se você precisa de ajuda e explicando os sabores e detalhes de cada produto. Na prática são mais de 20 fabricantes, alguns super tradicionais, o que acaba complicando um pouco na hora de escolher, porque a vontade é levar uma de cada para casa. Além de a conserva ser muito gostosa, é uma ótima opção de presente, porque as embalagens realmente chamam a atenção pelo cuidado e beleza.


Comentários

Este post ainda não recebeu nenhum comentário. Seja o primeiro!

Comentar