Menu
 


Banner
Dicas para aproveitar o melhor de Lima
Publicado em: 21/07/2015

Toda vez que estamos num avião pensamos que voar dá muito medo, e que aquela será a última vez. Sempre rola um pensamento de que a viagem tem de valer muito a pena para estarmos ali, no meio da turbulência. No caso do Peru, não faltou turbulência - na ida e na volta - nem coisas boas para lembrarmos, já que foi um destinos que mais gostamos de visitar. A energia, a simpatia das pessoas, a segurança, a comida, pontos turísticos e tudo mais são sensacionais.

Não passamos tanto tempo assim no país - cinco dias -, mas vimos tanta coisa, que vamos publicar vários textos separados. Este é um compilado de algumas dicas para você aproveitar Lima da melhor maneira possível.

Celular
Já falamos sobre o uso de chips de telefone nos países que visitamos (leia mais aqui), e no Peru não foi diferente. Conseguimos comprar o chip em um supermercado por 15 Soles (equivalente a 15 Reais) e carregamos com mais 35 Soles para 700MB de internet por 20 dias. Optamos por comprar um chip da Claro, e você só precisa do passaporte. Em geral a internet funcionou bem em todos os lugares que visitamos.

Simpatia
Todo mundo fala sobre o fato de que somos um povo super simpático, acolhedor e tudo o mais, mas pouca vezes tivemos contato com pessoas como os peruanos. Em todos os lugares de Lima fomos extremamente bem tratados, e os peruanos mostraram-se como um povo atencioso e educado. Isso deve começar desde cedo, porque numa visita à Igreja de São Francisco, estávamos sentados do lado de fora quando uma excursão inteira de crianças foi chegando e conversando com a gente, querendo saber de onde éramos, tentando falar inglês, pedindo fotos e tal. Foi uma situação super inusitada e divertida, mas demonstra como o povo em geral é simpático e amável.

Dinheiro
O câmbio estava um para um em relação ao Real, mas levamos tudo em Dólar porque havíamos pesquisado que seria mais fácil de trocar. Na prática, não vimos muita diferença, e muitos lugares aceitam, inclusive, pagamentos em Real. Para trocar o dinheiro, nosso guia indicou casas de câmbio ou bancos, porque há cambistas nas ruas, mas não são 100% confiáveis. Uma dica: na casa de câmbio a cotação é um pouco melhor do que nos bancos. Para trocar, basta mostrar um documento com foto, de preferência o passaporte.

O impressionante é ver os cambistas com maços enormes de dinheiro nas mãos bem no meio da rua. Ou eles são super corajosos ou realmente é um lugar muito seguro, porque no Brasil não imaginamos ninguém com uma quantia tão grande de dinheiro à mostra.

Táxi
Como em boa parte do mundo, o segredo é negociar, porque praticamente ninguém liga o taximêtro em Lima. Antes de entrar, negocie o valor com o motorista, porque senão você vai gastar mais do que realmente vale a corrida. Em geral, o táxi é barato, mas acreditamos que muito mais pela negociação do que por qualquer outra coisa.

Há táxis de tudo quanto é tipo: oficiais, um pouco oficiais e os não-oficiais. É uma quantidade absurda de gente trabalhando com transporte de passageiros, então não faltam ofertas para te levar a qualquer lugar. Os motoristas, inclusive, andam buzinando e oferecendo os seus serviços para qualquer pessoa que esteja caminhando na rua.

Trânsito
Quem está acostumado com o trânsito de São Paulo acha que consegue dirigir ou encarar qualquer lugar do mundo, certo? Errado. Nunca vimos um trânsito tão caótico em nossas vidas: ninguém respeita a sinalização, parece que não há regras e, de acordo com o nosso guia, quem tem mais coragem acaba se dando melhor. Nos cruzamentos, por exemplo, não existe preferência: perde - ou ganha - quem frear primeiro. Para atravessar as ruas é preciso bastante cuidado, porque mesmo com o semáforo verde para os pedestres, os motoristas aceleram sem a menor cerimônia. Não sabemos como não presenciamos nenhum acidente ou atropelamento.

Comida
A gastronomia no Peru tem tido cada vez mais destaque no cenário mundial, e ano após ano, novos restaurantes peruanos aparecem na lista de melhores do mundo. Dois que integram esta lista (veja a lista aqui) estão em Lima: Central e Astrid Y Gáston. Conhecemos os dois e vamos falar deles separadamente em outros posts. Mas nem só de restaurantes estrelados vive a capital do país: mesmo a comida de rua é super saborosa e vale a pena provar o milho cozido e o tradicionalíssimo ceviche. De uma maneira geral come-se muito bem em todas as refeições, então aproveite para experimentar de tudo um pouco.

Clima
Conhecemos uma guia turística de Lima que só viu chuva aos 12 anos em Cusco, porque comenta-se que nunca, mas nunca mesmo, chove na capital do país. Também nos falaram que os dias sempre são cinzas, e o sol quase nunca aparece. Por sorte, no nosso primeiro dia, o tempo abriu e foi super agradável, com uma temperatura de uns 22ºC e sol o tempo inteiro. No inverno, disseram que não é tão frio assim, com temperatura média entre 15 e 20ºC durante o dia. Já no verão, de acordo com o nosso guia, os termômetros passam fácil dos 30ºC.


Comentários

First Class Bus • 24/07/2015 às 17:19
Nós também achamos o máximo a simpatia das crianças, Ludmila. O milho é um capítulo à parte de tão gostoso!!!
Os preços em geral são parecidos com Brasil. Uma garrafinha de água na rua (lá são de 650 ML) paga-se em média 3 Soles, que são equivalentes a 3 Reais. O táxi sem dúvida é mais barato, mas restaurantes e outras coisas não são muito diferentes, não.
Ludmila Santos • 24/07/2015 às 11:10
Adorei a foto de vocês com a criançada!!!! (e depois de ver as fotos fiquei com vontade de comer milho...)
Pergunta: os preços de produtos (no geral) do Peru são os mesmos que os do Brasil? Ou são mais baratos?

Comentar